Aquisição Toll Collect
Abril 26, 2018
Obras no túnel de San Lorenzo – Obras no túnel de Belate da N-121
Abril 26, 2018
Mostrar tudo

O Comitê Nacional de Transporte Rodoviário (CNTC) enviou recentemente uma carta de queixa ao diretor-geral do Tráfico, Gregorio Serrano, exigindo a "retificação imediata" da resolução através da qual a DGT estabelece as restrições de circulação para 2018.

Isto foi anunciado por uma das organizações com representação no CNTC, Fenadismer, cujos líderes tornaram pública uma declaração na qual afirmam que a DGT violou o compromisso que alcançou "formalmente por escrito", consistindo em "tornar essas restrições mais flexíveis".

Apesar desse compromisso, a Fenadismer afirma que "surpreendentemente na resolução aprovada permaneceram as mesmas restrições do ano anterior". Eles também cobram da federação presidida por Julio Villaescusa contra o Ministério do Fomento que, de acordo com a Fenadismer, adquiriu um "compromisso com o setor", segundo o qual "os desvios dos pesados que são promovidos para estradas de portagem têm caráter voluntário, aplicando bônus para operadoras que incentivem seu uso ".

No entanto, nas restrições para 2018, a proibição absoluta da circulação de veículos de mais de 7,5 toneladas em várias seções - totalizando mais de 150 quilômetros - da N-232 e N-124 à medida que passa por La Rioja e seu desvio obrigatório pelo AP-68 que, de acordo com a Fenadismer, "está causando danos significativos às transportadoras que anteriormente estavam transitando nessas estradas nacionais, já que agora não têm acesso a os seus pontos de reabastecimento habituais com preços significativamente inferiores aos das autoestradas de portagem, ou para fazer as pausas obrigatórias para a condução ".

Deve-se lembrar que o Comitê Nacional de Transporte Rodoviário já interpôs recurso judicial em janeiro com a referida proibição de movimentação de pesados perante a Suprema Corte de Justiça de Madrid. O recurso foi admitido para processamento, o que, de acordo com a Fenadismer, poderia terminar com uma medida "absolutamente desproporcional e injusta" que também constitui "um imposto tributário encoberto no setor de transporte rodoviário".

 

 

Free WordPress Themes, Free Android Games